3 concelhos da região de Coimbra em risco de não desconfinar

127

A Região de Coimbra continua a manter todos os concelhos em risco moderado segundo o índice de transmissibilidade medido pela incidência de novos casos de covid-19 por 100 mil habitantes a 14 dias, revela hoje o boletim diário da Direção-Geral de Saúde.

Penela, com 167 casos, Soure com 123 e Figueira da Foz, com 121, são os três concelhos que poderão não avançar com o desconfinamento.

A Figueira da Foz está agora no limiar da incidência que levará à reavaliação do processo de desconfinamento (121), estando ainda perto Soure com 123. Penela continua a ser o concelho com maior risco de transmissão, mantendo o índice (167) da semana anterior, mas situando-se no risco moderado, o menor da tabela, a cinzento no mapa do Notícias de Coimbra.

Góis junta-se a Vila Nova de Poiares e não regista, neste período, novos casos da doença. A maioria dos municípios da Região de Coimbra manteve ou diminuiu o número de novos casos por cem mil habitantes registados entre 17  e 30 de março, embora aumentassem em Miranda do Corvo (de 47 para 55), Oliveira do Hospital (de 10para 36) e Pampilhosa da Serra (de 25 para 50).

O índice de transmissibilidade (Rt) do novo coronavírus em Portugal subiu hoje para 1 no continente, enquanto a incidência desceu para 60,9 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, segundo dados oficiais.

O anterior Rt no continente, divulgado na sexta-feira, era de 0,97 e a incidência era de 62,9 casos por 100 mil habitantes.

No que respeita aos valores referentes a todo o país o boletim conjunto da Direção-Geral da Saúde (DGS) e do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) revela uma subida do Rt de 0,97, na sexta-feira, para 0,98.

O índice de transmissibilidade (Rt) da covid-19 tem vindo a aumentar desde meados de fevereiro, sendo mais elevado na região do Algarve, onde está em 1,19, de acordo com o primeiro relatório de monitorização das ‘linhas vermelhas’ divulgado na sexta-feira.

Estes indicadores são os critérios definidos pelo Governo para a avaliação contínua do processo de desconfinamento iniciado em 15 de março.

fonte: noticias de coimbra