ABMG: Movimento quer extinguir Águas do Baixo Mondego e Gândaras

8

O movimento que defende a extinção da empresa intermunicipal Águas do Baixo Mondego e Gândara (ABMG) anunciou hoje que vai entregar uma petição para discussão nas Assembleias Municipais de Montemor-o-Velho, Soure e Mira.

A petição, que conta mais de mil assinaturas, defende a extinção da empresa intermunicipal e o regresso do abastecimento de água e saneamento à gestão dos três municípios, segundo Fernando Pereira, do “Movimento Cidadãos pela Saída da ABMG”.

Segundo este morador de Montemor-o-Velho, o movimento também decidiu apresentar queixas-crime “no momento que for oportuno”, por considerar que existe adulteração de documentos e contratos por ajuste direto sistemáticos.

Em declarações à agência Lusa, Fernando Pereira denunciou “mais um aumento” nas taxas de resíduos urbanos e sólidos na fatura que está a chegar este mês a casa dos consumidores, salientando que “para o ano, a taxa de resíduos urbanos vai ser aumentada para vinte e dois euros a tonelada” e os consumidores ainda vão ter de pagar mais.

“Presentemente continuamos com os mesmos problemas – perdas, sucessivos cortes, cor da água barrenta e enlameada, faturas estratosféricas e falta de investimento no que realmente a rede de águas e esgotos carece”, refere o movimento, que hoje deu uma conferência de imprensa.

A tudo isto acresce, segundo Fernando Pereira, o peso da estrutura diretiva “onerosa, impreparada e com uma grande falta de honradez, humildade e transparência governativa”.

Os subscritores da petição pela extinção da ABMG sustentam que a constituição da empresa “foi uma má decisão e austera, pois não se fez uma ampla discussão pública ou referendo”, além de que o tarifário para este ano representou “um aumento escandaloso do preço da água”, com “implicações dramáticas no bolso e na vida” das pessoas, pequenas e médias empresas e serviços públicos.

A ABMG – Águas do Baixo Mondego e Gândara é uma empresa intermunicipal criada pelos municípios de Mira, Montemor-o-Velho e Soure com o objetivo de assegurar o abastecimento de água e o saneamento de águas residuais para um universo de cerca de 30 mil clientes e 53 mil habitantes.

fonte: noticias de coimbra