Coimbra: Restaurante Brasil vai estar lotado de sportinguistas à espera do título

44

O ambiente vai ser de festa no emblemático Restaurante Brasil, em Coimbra, na terça-feira, na expetativa de o Sporting se sagrar novamente campeão nacional de futebol ao fim de 19 anos.

“A lotação está esgotada dentro das restrições impostas pela Direção-Geral da Saúde (DGS), porque acreditamos que, na terça-feira, vamos ganhar e festejar o título de campeão nacional”, salienta José Silva, que gere o estabelecimento com a mãe Maria de Jesus Silva.

Sportinguistas ferrenhos, num ambiente dominado pelo verde e branco, mãe e filho vestem há certa de dois meses um avental com o símbolo dos leões “oferecido por um amigo benfiquista” e acreditam que o título já não deve fugir de Alvalade.

“Eu até faço promessas e vou à Rainha Santa Isabel. Acabo os jogos de joelhos em frente à televisão”, revela Maria de Jesus Silva, de 70 anos, salientando que ser do Sporting “é uma doença”.

Uma “doença” de família que levou o seu marido Manuel Silva (falecido em 1995) a prometer manter o preço do café inalterado enquanto o conjunto verde e branco não voltasse a ser campeão.

A promessa, mantida por Maria de Jesus Silva, fez o então café Brasil entrar para a história sportinguista, ao manter o preço do café a 25 escudos durante 18 anos, desde a conquista do 16.º título de campeão, em 1981/82.

O preço foi atualizado de 25 para 50 escudos (seriam cerca de 25 cêntimos na moeda atual) no final da época 1999/2000, quando o Sporting se sagrou campeão nacional pela penúltima vez.

Os tempos são de crise provocada pela pandemia da covid-19 e o estabelecimento não está em condições de “adoçar” a boca aos clientes.

“Se não tivesse existido esta pandemia tinha feito uma brincadeira, mas neste setor registámos todos grandes quebras e não dá para fazer nada”, lamenta Maria de Jesus Silva.

Quando joga o Sporting, os filhos de José Silva, de 12 e nove anos, andam vestidos todo o dia com o equipamento ‘leonino’ e “dormem com ele”, revelam pai e avó, sublinhando que ambos aguardam ansiosamente pela festa da conquista do campeonato.

Tiago, de 22 anos, sobrinho-neto de Maria de Jesus Silva, festejou no sofá o último título dos “leões”, em 2001/02, equipado a rigor, conforme uma fotografia que José Silva mostra com regozijo.

“Fiz a festa, mas não me recordo de nada. Agora, a festa vai ser aqui no restaurante Brasil e depois é o que for, logo se vê”, diz o jovem adepto sportinguista, que na altura tinha três anos.

A festa está preparada para terça-feira “e a polícia já sabe”, refere José Silva, adiantando que a rotunda em frente ao café-restaurante vai ter “grande movimentação”, caso a equipa liderada por Rúben Amorim vença o Boavista no Estádio José de Alvalade, em Lisboa.

A celebração até pode ser antecipada, caso o FC Porto não vença na receção ao Farense, na 32.ª e antepenúltima jornada da I Liga.

fonte: noticias de coimbra