Demonstrada eficácia dos programas de educação parental: Mães pela primeira vez menos stressadas e mais confiantes

111

Programas de educação parental, que visam responder às dificuldades sentidas pelas mães pela primeira vez, contribuem para a diminuição do stresse e o aumento da confiança nesta fase de adaptação à maternidade, conclui uma investigação de doutoramento da professora da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (ESEnfC), Júlia Maria das Neves Carvalho.

No âmbito do trabalho de doutoramento “Adaptação à Maternidade: Influência de uma Intervenção de Educação Parental em Mães Primíparas”, tese que Júlia Carvalho (FOTO EM ANEXO) defendeu, no mês passado, no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto, e que pretendeu conceber, implementar e avaliar os efeitos do programa “MaisPaisMaisBebés”, ressalta o «impacto positivo na diminuição do stresse e no aumento da confiança parental das mães que experienciam pela primeira vez a maternidade», sendo que «as mães cujos maridos/companheiros participaram no programa» acusaram «mais benefícios da intervenção do que as que participaram sozinhas».

Num dos estudos desta investigação – foram realizados quatro que, no total, envolveram a participação de 72 mães e 21 pais (amostra de 93 indivíduos) –, despontaram três categorias de dificuldades enfrentadas pelas mães, relacionadas com a recuperação pós-parto (complicações do pós-parto e da amamentação, recuperação física e autocuidado), com o cuidar do bebé (higiene e conforto, cólicas, segurança, alimentação e rotinas do bebé) e com a relação conjugal, onde «surgiram dificuldades na partilha das tarefas diárias, por haver pouca colaboração dos companheiros», bem como no «reinício da atividade sexual, marcada por sentimentos de medo e insegurança», lê-se na tese de doutoramento.

Segundo a professora Júlia Carvalho, o programa de educação parental “MaisPaisMaisBebés”, pioneiro a nível nacional e concebido por enfermeiros para mães e pais de bebés sem problemas de saúde ou de desenvolvimento, é «uma intervenção simples e sem grande investimento económico, que pode ser replicada e adaptada a diferentes contextos», como maternidades, hospitais, centros de saúde, creches e locais da comunidade (exemplo de bibliotecas ou de juntas de freguesia).

Organizado em doze sessões (uma por semana), o programa “MaisPaisMaisBebés”, implementado no período compreendido entre a saída da maternidade e os seis primeiros meses de vida do bebé, tratou temáticas como o exercício físico no pós-parto, a massagem e o sono do bebé, o papel dos avós, a prevenção de acidentes e a introdução da alimentação diversificada no bebé.

fonte: noticias de coimbra