Festival celebra o talento das crianças e jovens de Seia

47

O festival que anualmente em maio celebra o talento das crianças e jovens do concelho portadores de deficiência – o Festival Especial, este ano, devido à pandemia, é assinalado com um espetáculo de dança inclusiva.

SÍNCRONE é o nome do projeto artístico que este domingo, dia 16 de maio, pelas 15h00, subirá ao palco do Cineteatro da Casa Municipal da Cultura. Baseado no conceito de Dança Inclusiva, o espetáculo aborda linguagens artísticas muito vastas, com destaque sobre a dança, a expressão corporal e a música.   

Pelo significado que este momento anual representa, e apesar de não contar com os protagonistas habituais, pelos riscos associados à transmissibilidade do vírus, o Município ainda assim entendeu promover um espetáculo dedicado à temática.

Mesmo não sendo protagonistas, crianças e adultos da Casa de Santa Isabel, do Centro de Atividades Ocupacionais (CAO) da Casa do Povo de Seia, da Fundação Aurora Borges e crianças autistas com especificidades diferenciadas das unidades de ensino estruturado do concelho são convidados a usufruir do espetáculo, que terá entrada livre no Cineteatro e simultaneamente transmitido na página de facebook do Município.

O projeto SÍNCRONE surgiu em 2007, de uma vontade comum, o desejo de dançar e movimentar o corpo. Rui Reisinho, como bailarino com paralisia cerebral, e Diana Azevedo, como bailarina e violinista, decidiram iniciar uma viagem pelo mundo da dança, percorrendo caminhos entre os movimentos involuntários que a vida leva o corpo a explorar. 

Baseado na exploração do espaço e da natureza orgânica dos diferentes corpos, neste projeto cabem conceitos vastos de expressão corporal, sem nenhuma linha diretiva definida. Como outra forma de ser e de estar, estes dois bailarinos quiseram unir dois corpos diferentes, entrar nas suas próprias limitações e nas do outro, sentir o bater do coração e a respiração síncrona num só corpo e libertar-se do peso e da gravidade. O movimento é um só, sem limites!

Em 2021, este projeto apresenta o seu mais recente espetáculo: TRANSVERSAL. Neste espetáculo, dois bailarinos despertam a sensibilidade e a atenção do público para o movimento, sem barreiras corporais ou emocionais. Na dança encontram a sua forma de comunicar, na música a sua forma de libertar e no olhar a sua identificação. 

Com música de Diana Azevedo, Rui Reisinho e Diana Azevedo exprimem-se e comunicam através do corpo, num espetáculo para público de todas as idades. Duas máscaras num só olhar, dois corpos e uma cadeira de rodas e um corpo sobre uma bola, são alguns dos cenários que este espetáculo oferece. Do corpo surge a entrega e do olhar a emoção!

fonte: noticias de coimbra