Filipe Albuquerque fez “a corrida mais difícil” da carreira para vencer 24 Horas de Daytona

101

O piloto português Filipe Albuquerque (Acura) disse hoje ter feito “a corrida mais difícil” da sua carreira, que lhe valeu a vitória nas 24 Horas de Daytona, prova de abertura do campeonato norte-americano de resistência em automobilismo.

“Ganhámos. Campeões outra vez. Inacreditável. Foi a corrida mais difícil da minha vida. Sempre no limite para compensar o andamento dos nossos adversários e a [ter de] olhar para os espelhos para os bloquear”, exultou o piloto de Coimbra, numa mensagem vídeo enviada à Agência Lusa.

Albuquerque, que teve a seu cargo o derradeiro turno de condução, bateu o japonês Kamui Kobayashi (Cadillac) por 4,704 segundos, e o britânico Harry Tincknell (Mazda) por 6,562 segundos, beneficiando de um furo sofrido pelo Cadillac do holandês Renger van der Zende.

“Não foi só nos últimos 20 minutos [que foi difícil], mas nas últimas 12 horas, quando conseguimos meter o carro em primeiro lugar”, frisou o piloto de Coimbra.

Após o triunfo, Albuquerque confessou ter sido “um orgulho” ter tido o derradeiro turno de condução, que lhe permitiu ver a bandeirada de xadrez.

Esta vitória, a segunda na mais mítica das provas de resistência automobilísticas dos Estados Unidos, deixou o atual campeão mundial de resistência da classe LMP2 “super emocionado e super feliz”.

O outro português em prova, João Barbosa (Ligier), foi segundo na nova categoria LMP3.

fonte: noticias de coimbra