Leões “campeões de inverno” pela terceira vez no século XXI. Sporting foi campeão nacional no inicio do século!

104

O Sporting conquistou o ‘verdadeiro’ título de ‘campeão de inverno’ pela 19.ª vez na sua história, mas apenas pela terceira no Século XXI, ao fechar a primeira volta com 45 pontos, seis à maior face ao FC Porto.

Em 17 jornadas, os ‘leões’ apenas cederam pontos em três, ao empatarem precisamente na receção aos campeões em título (2-2, à quarta jornada), em Famalicão (2-2, à nona) e novamente em Alvalade, perante o Rio Ave (1-1, à 14.ª).

Sob o comando de Rúben Amorim, apenas na segunda época como treinador principal na I Liga e primeira de início, os ‘verde e brancos’ voltam a ser os melhores a meio cinco anos volvidos, no que foi então a primeira de três épocas liderados por Jorge Jesus.

O Sporting conseguiu, porém, melhorar os números de 2015/16, no que respeita aos pontos somados (45 contra 44) e também ao avanço sobre o segundo classificado, que é agora de seis pontos, face ao FC Porto, e era de quarto, em relação ao Benfica.

Ainda assim, e apesar de ter acabado a época com um recorde absoluto do cube de 86 pontos, os ‘leões’ não conseguiram, então, o título, que caiu para o Benfica, de Rui Vitória, muito por culpa de um triunfo por 1-0 em Alvalade, selado por Mitroglou.

Pelo contrário, em 2001/02, o Sporting virou na frente e acabou campeão, no que é ainda o seu último título de campeão nacional, o 18.º, alcançado ao ritmo dos golos de Mário Jardel (42) e da classe de João Vieira Pinto, com o romeno László Bölöni ao leme.

Quanto aos restantes títulos de ‘campeão de inverno’, a grande maioria (12 em 16) foram, depois, ‘transformados’ em vitórias no campeonato, com quatro exceções.

Como em 2015/16, também em 1941/42 (partindo de uma situação de igualdade), 1959/60 (igualdade), 1970/71 (a seis pontos) e 1976/77 (a três), o Benfica conseguiu ser campeão depois de o Sporting virar à frente para a segunda volta.

Em 1970/71, num campeonato de apenas 26 jornadas, o Benfica partiu para a segunda volta da quarta posição e com um atraso que, convertendo os triunfos para três pontos, seria de 10 pontos, sendo que o atual é ainda maior, de 11.

Ao contrário dos ‘encarnados’, o FC Porto, que agora é segundo, nunca ganhou um campeonato que tivesse chegado a meio com os ‘leões’ na frente da classificação.

fonte: noticias de coimbra