Movimento denuncia retirada de aparelhos comprados pelos Transportes Urbanos de Coimbra

92

O movimento Somos Coimbra denunciou hoje a retirada de equipamentos dos autocarros dos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC), que teriam sido contratualizados com uma empresa de um filho do ex-vereador Jorge Alves (PS).

“O Somos Coimbra teve conhecimento que, no final da semana passada, os equipamentos do sistema de manutenção preditiva dos autocarros dos SMTUC, objeto dos contratos por ajuste direto com a empresa do filho do ex-vereador Jorge Alves e que levaram à sua demissão, terão sido retirados dos autocarros”, afirmou o movimento, em nota de imprensa enviada à agência Lusa.

O movimento salientou que, face a essa informação, enviou na segunda-feira uma participação “sobre o ocorrido ao Departamento de Investigação e Ação Penal de Coimbra”, referindo que há “uma série de questões” que devem ser “obrigatoriamente clarificadas”.

“Quem autorizou a retirada dos aparelhos? Agora que o ex-vereador Jorge Alves já não faz parte do Conselho de Administração, Francisco Queirós [CDU] e Regina Bento [PS] têm de esclarecer qual a sua intervenção neste novo episódio”, disse.

O movimento, que alega que a retirada foi feita pela empresa do filho do ex-vereador, quer também saber como é que conseguiram entrar pessoas nos espaços dos SMTUC para retirar os aparelhos, qual a justificação para a sua retirada e se essa ação não interfere com a investigação desencadeada pelo Ministério Público.

“O Somos Coimbra sublinha ainda o facto de o presidente e o vice-presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Manuel Machado e Carlos Cidade, [respetivamente], se recusarem a dar explicações ao povo de Coimbra, remetendo as suas justificações apenas para a instância judicial, onde serão obrigados a apresentá-las”, frisou.

O movimento repudia ainda a recusa dos responsáveis em prestarem contas aos munícipes.

As adjudicações suspeitas nos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC) a uma empresa de um filho do ex-autarca Jorge Alves dominaram o início da reunião da Câmara, na segunda-feira, com acusações entre maioria e oposição.

Jorge Alves, que era vereador e presidente do conselho de administração dos SMTUC, renunciou a estes cargos, no fim de fevereiro, depois de o presidente da Câmara, Manuel Machado, o ter confrontado com as suspeitas, que foram participadas ao Ministério Público (MP).

O ex-autarca Jorge Alves, que integrava a Câmara de Coimbra desde 2013, após ter cumprido vários mandatos, também pelo PS, como vereador e vice-presidente da Câmara da Lousã, é suspeito de, enquanto presidente dos SMTUC, ter feito adjudicações por ajuste direto, a uma empresa do filho e sobrinho, de montante superior a 200 mil euros.

O executivo da Câmara Municipal de Coimbra, liderado pelo socialista Manuel Machado, é constituído por 11 eleitos.

Cinco elementos são do PS, três foram eleitos no âmbito da coligação PSD/CDS-PP/PPM/MPT (sendo que um passou a independente), dois pelo Movimento Somos Coimbra e um pela CDU (Francisco Queirós, membro da administração dos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra e único vereador não PS com pelouros atribuídos).

fonte: noticias de coimbra