Nova estratégia de combate à sinistralidade já está online

120

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) lança hoje uma página na Internet dedicada à nova estratégia de combate à sinistralidade para a próxima década, denominada “Visão Zero 2030”, para que seja conhecido detalhadamente todo o trabalho desenvolvido.

Em comunicado, a ANSR avança que “o “site Visão Zero 2030 contém toda a informação relevante sobre a estratégia, tais como objetivos, metodologia, estrutura de gestão e relatórios, documentação relacionada com as políticas de segurança rodoviária a nível mundial, europeu e nacional, dados mais recentes relativos à sinistralidade, além de uma área dedicada ao sistema seguro e aos seus princípios, que são a base da Estratégia Visão Zero 2030”.

A ANSR refere que através do site será também possível enviar contributos.

“Convidamos todos a partilhar as visões e pensamentos relativamente ao combate à sinistralidade rodoviária. Apenas com o reforço do envolvimento de toda a sociedade e de todas as entidades, publicas e privadas será possível construir uma estratégia eficaz de forma a alcançar todos os objetivos definidos”, frisa a ANSR.

A ANSR pretende dar a conhecer “a toda a sociedade, de uma forma transparente, o trabalho em desenvolvimento, oferecendo também oportunidade a todos de colaborarem e participarem, juntando-se aos mais de 100 contributos recebidos até à data”.

A nova Estratégia Nacional de Segurança Rodoviária projetará o panorama de longo prazo da política de segurança rodoviária em Portugal, fixará as metas e definirá os objetivos estratégicos e operacionais correspondentes, que serão implementados por meio de planos de ação bienais que concorrem numa estratégia a 10 anos.

Nesta primeira fase, em que são definidas as linhas orientadoras da nova estratégia, existe um período para rececionar contributos de toda a sociedade civil e de todas as entidades, públicas e privadas, com responsabilidade na segurança rodoviária, que serão analisados na próxima fase.

A designação Visão Zero 2030 está em estreito alinhamento com a União Europeia e com a Organização das Nações Unidas.

fonte: noticias de coimbra