“Santana Lopes mais perto (da Câmara) de Coimbra”?

55

“Santana Lopes é agora referido como provável candidato do PSD a Coimbra, contra o histórico presidente da Câmara socialista Manuel Machado. Com os sociais-democratas locais profundamente divididos, o nome do antigo primeiro-ministro e líder do partido – que entretanto já se desvinculou do Aliança – poderá funcionar como elemento pacificador e mobilizador”, escreve hoje o jornal Nascer do Sol na última página num artigo intitulado “Santana mais próximo de Coimbra”-

Páginas antes, num artigo sobre os candidatos a autarquias de grandes cidades, depois de ter colocado na primeira página” Santana Lopes apontado a Coimbra”,  o mesmo jornal dá o dito por não dito e conta que “a  hipótese de Santana Lopes vir a ser candidato autárquico por alguma câmara do país pelo PSD parece completamente afastada.

Nesse local o Nascer do Sol recorda que  Santatan Lopes assegurou que no atual cenário, com a pandemia de covid-19, não entraria nesse combate. E sugeriu o adiamento de eleições numa entrevista no dia 30 de janeiro ao Diário de Notícias.

Nessa entrevista ao DN Santana Lopes defendeu que “se houver juízo”, as autárquicas no final do ano deveriam ser adiadas por seis meses, e acrescentou que “em circunstâncias normais, sim”, seria candidato pelo seu antigo partido.

Quando o DN lhe perguntou se gostava de tentar Lisboa novamente, ou Figueira da Foz, onde foi muito feliz como autarca, Santana respondeu: isso é passar ao segundo capítulo. Já veio a público que os vários desafios que me fizeram são para vários sítios do país e mais do que uma hipótese no distrito de Lisboa. O primeiro capítulo é ver como tudo isto corre, vamos ver… Não sou hipócrita e admito que gosto muito do trabalho autárquico. Mas quero deixar claro que estou muito bem como estou e já não tenho 30 nem 40 anos e estou muito calmo e sereno. E não fui nem vou pedir a ninguém para ser candidato seja onde for. Se houver essa hipótese é porque têm de me convidar. Agora quando me desafiam e apresentam projetos mobilizadores já me conhecem, é-me difícil recusar se eu achar que posso ser útil.

E é preciso pensar “com tempo” o adiamento das eleições locais, dado que, “por muito que sejam conhecidos os candidatos têm de ir correr as capelinhas todas” e “isso é impossível nas circunstâncias atuais” de crise epidémica, como aconteceu nas presidenciais em que quase não houve campanha de rua, acrescentou Santana Lopes.

 Noutra entrevista recente ao Nascer do SOL, Santana Lopes tinha respondido: «A minha posição em relação a todas as câmaras é a mesma. Neste momento, não penso nisso. Hoje em dia sou advogado, tenho o meu escritório. Deus me dê vida e saúde para atravessar esta pandemia». 

Enfim, “o que hoje é verdade, amanhã pode ser mentira” e vice-versa, mas não se pode descartar que o sempre imprevisível Pedro “vá andar por aí.

É um facto que o PSD está dividido em relação ao candidato à presidência da Càmara Municipal de Coimbra, Nuno Freitas tem feito tudo para ser o “desejado” e tem o apoio dos seus amigos da concelhia laranja, mas Rui Rio já disse em circuito mais ou menos fechado que não é fã do médico e empresário.

Se Nuno Freitas for mesmo descartado por Rui Rio, o líder pode virar-se para José Manuel Silva, num cenário em que o presidente do movimento Somos Coimbra seria o candidato do PSD.

Recordamos que Freitas e Silva não  desdenhavam ir juntos a eleições, mas essa hipótese parece cada vez mais remota, porque os dois quereriam ser número 1 e porque “o Rio não gosta do Freitas”, salienta fonte da Louenço de Almeida Azevedo

Outra fonte  do laranjal não coloca de lado a possibilidade de José Manuel Silva (agora com grande protagonismo na CMTV) passar para a área social democrata como número 2 de Santana Lopes, caso se confirme o sonho de Rui Rio de ver o ex-líder do Aliança na área da 8 de Maio.

No entanto, neste concelho rosa nem tudo são laranjas para o ex-Bastonário dos Médicos, pois, como é público, a colagem do Somos Coimbra ao PSD não é bem vista por uma parte dos seus seguidores, o que até já fez com que fundadores e eleitos deixassem o movimento dito independente.

Certo é que já estamos em fevereiro e o PSD ainda não tem “um nome”, o que decerto fará sorrir Manuel Machado, o socialista que se vai candidatar ao sexto mandato como presidente da Câmara Municipal de Coimbra.

Com ou sem Santana na A1 a caminho de Coimbra, a concelhia da Figueira da Foz já descartou o antigo presidente da Câmara. O homem que meteu a “Figueira no Mapa” já não será bem-vindo à “Praia da Claridade”, uma vez que o presidente da concelhia  do PSD quer candidatar Pedro Machado, o poderoso “senhor turismo”.

A decisão de Ricardo Silva contará com o apoio do outrora famoso Paulo Pereira Coelho, seu mentor e antigo apaniguado de Santana Lopes.

fonte: noticias de coimbra