SMTUC afirmam que suspeições levantadas por movimento são “infundadas”

44

Os Transportes Urbanos de Coimbra afirmaram hoje que são “infundadas” as suspeições levantadas pelo movimento Somos Coimbra sobre uma alegada retirada de equipamentos que teriam sido comprados à empresa de um filho do ex-vereador Jorge Alves (PS).

O movimento Somos Coimbra denunciou hoje uma alegada retirada de equipamentos do sistema de manutenção preditiva dos autocarros dos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC), que teriam sido contratualizados com uma empresa de um filho do ex-vereador Jorge Alves.

Em resposta a essa nota de imprensa, os SMTUC salientam que as suspeições são “infundadas”, uma vez que a vigência do contrato com a empresa “já terminou”.

“Esses trabalhos [de remoção de equipamentos], tal como outros de diversas empresas prestadoras de serviços, decorrem nas instalações dos SMTUC durante o final de tarde ou noite, quando a frota está recolhida, tal como hoje vão decorrer normais trabalhos de manutenção e instalação de equipamentos semelhantes em novas viaturas adquiridas recentemente, serviços esses que estão enquadrados em contratos ainda em vigor”, vincou a empresa municipal.

Os Transportes Urbanos de Coimbra consideram “absolutamente lamentável” que o movimento e o seu líder, o vereador José Manuel Silva, “não tenha noção das responsabilidades que a posição que ocupa lhe exigem e lance publicamente constantes, falsas e irresponsáveis acusações para enlamear a imagem e o bom nome dos SMTUC e dos seus trabalhadores”.

“Não é aceitável que um vereador tente achincalhar o bom nome dos SMTUC, que são pioneiros na sua área, dos poucos serviços municipalizados de transportes urbanos a nível nacional financiados pelos cofres municipais, com mais de um século de provas dadas e que nos últimos sete anos têm sido estrategicamente valorizados pela Câmara Municipal de Coimbra, presidida por Manuel Machado [PS]”, vinca a empresa municipal.

O Somos Coimbra afirmou que fez uma participação sobre a remoção dos equipamentos ao Departamento de Investigação e Ação Penal de Coimbra.

“Quem autorizou a retirada dos aparelhos? Agora que o ex-vereador Jorge Alves já não faz parte do Conselho de Administração, Francisco Queirós [CDU] e Regina Bento [PS] têm de esclarecer qual a sua intervenção neste novo episódio”, disse o movimento.

As adjudicações suspeitas nos SMTUC a uma empresa de um filho do ex-autarca Jorge Alves dominou o início da reunião da Câmara, na segunda-feira, com acusações entre maioria e oposição.

Jorge Alves, que era vereador e presidente do conselho de administração dos SMTUC, renunciou a estes cargos, no fim de fevereiro, depois de o presidente da Câmara, Manuel Machado, o ter confrontado com as suspeitas, que foram participadas ao Ministério Público.

O ex-autarca Jorge Alves, que integrava a Câmara de Coimbra desde 2013, após ter cumprido vários mandatos, também pelo PS, como vereador e vice-presidente da Câmara da Lousã, é suspeito de, enquanto presidente dos SMTUC, ter feito adjudicações por ajuste direto, a uma empresa do filho e sobrinho, de montante superior a 200 mil euros.

fonte: noticias de coimbra